A Ponte do Diabo

"A Ponte do Diabo I" por PC Silva | Ponte da Mizarela, Montalegre | Junho de 2016

“A Ponte do Diabo I” por PC Silva | Ponte da Mizarela, Montalegre | Junho de 2016

A Elisa Fardilha do blog Fardilha’s, costuma no seu blog apresentar-nos “bocadinhos” do nosso país, ao que ela chama “Pelos caminhos de Portugal…”. Já vi lá muita coisa, descobri histórias e locais que não conhecia, ou passei a conhece-los de outra forma. Mas nunca vi lá a Ponte do Diabo. Por isso, em forma de reconhecimento e homenagem ao que a Elisa nos mostra regularmente do nosso país, publico este artigo fora do que é habitual neste blog e complementar ao blog da Elisa.

A Ponte da Misarela, também conhecida como Ponte do Diabo, é uma ponta de origem medieval que foi reconstruída no inicio do séc. XIX (antes das invasões francesas). Situa-se perto da foz do rio Rabagão (afluente do Cávado) na divisão dos concelhos de Vieira do Minho e Montalegre.

 

"A Ponte do Diabo I" por PC Silva | Ponte da Mizarela, Montalegre | Junho de 2016

“A Ponte do Diabo II” por PC Silva | Ponte da Mizarela, Montalegre | Junho de 2016

Segundo a lenda um malfeitor vivia nesta zona, e escapava sempre a justiça pois conhecia muito bem a geografia local e seus esconderijos. Mas certo dia perseguido por elementos da justiça, não conseguiu um esconderijo seguro antes de chegar as margens deste rio, bastante agitado durante o inverno. Desesperado, pois a sua captura estava iminente, pediu ajuda a Deus e ao Diabo. O Diabo atendeu aos seus pedidos, e a troco da sua alma, construiu uma ponte, por onde ele passou em segurança e logo de seguida ruiu, evitando a sua captura.
Anos mais tarde, já moribundo, confessou ao padre que lhe administrava a extrema unção o sucedido. O padre intrigado foi ao local, invocou o Diabo e fez o mesmo tipo de pacto… mas após a travessia, e antes do Diabo destruir a ponte, pegou em alecrim, molhou em água benta e salpicando o Diabo proferiu alguns exorcismos. O Diabo desapareceu deixando um forte cheiro a enxofre, mas a ponte tinha ficado intacta… até aos dias de hoje!

Esta ponte foi ponto de passagem das tropas de Soult durante a Guerra Peninsular, e zona de combate com a população local que lhes fez frente. Mais tarde, durante a Guerra Liberal, as tropas liberais sofreram aqui uma derrota perante as forças constitucionais. Não é de estranhar já que o Visconde de Montalegre era apoiante de D. Miguel I. Mais uma vez esta ponte teve um papel estratégico ao nível militar.

Localização da Ponte: ver no Google Maps.

Nas redondezas ainda recomendo visitar Montalegre, Pitões das Júnias (e fazer o percurso até ao mosteiro abandonado de Santa Maria das Júnias), Castelo de Monterrei (Espanha, junto a Verín) e ainda uma visita a Chaves. Se quiserem mais informações sobre locais a visitar, visitem primeiro o blog da Elisa Fardilha 😀

Advertisements

20 thoughts on “A Ponte do Diabo

  1. É um dos locais a visitar.
    Já tinha andado a investigar sobre esta ponta, a história, como lá chegar, agora com as coordenadas fica mais fácil, só falta o principal, IR.

  2. Lindo este teu gesto, a Elisa merece e já conheci muito do nosso Portugal quando vou ao blog dela.
    Desconhecia a lenda diabólica 😛 e talvez me arrisque a ir um dia para esses lados, já que ando numa de explorar o nosso Portugal.
    Obrigada pela partilha e parabéns aos dois!

  3. Mas que bem…
    Mas que belo….
    Mas que história…
    Mas que elogio…
    Mas que reconhecimento…
    Mas que “coisa mai linda!”…
    Vou seguir a sugestão do PC Silva e já apontei no meu livro preto “Visitar a Ponte da Misarela, lá para os lados de Vieira do Minho e Montalegre”.
    Já agora uma pergunta: Os acessos (para lá chegar) é algo que se faz bem? Ou é por caminhos de sobre e desce e ao longo de vários quilómetros?

    • Chegar a ponte é bastante acessível… há 2 sítios onde começar: um em cada margem. fotograficamente, eu recomendo começar na aldeia de Sidrós (Ferral, Montalegre) e descer até a ponte. O percurso é de pouco mais de 1km e passa pelo miradouro de onde tirei a 2a foto. depois é só descer lá. é fácil de fazer. mas se quiseres caminhar mais há uns percursos marcados a passar por lá 🙂
      E não há desculpa para dizeres que não encontras: até deixei o link para o google maps! 😉
      Obrigado!

  4. Adoro o blog da Elisa, no qual fico conhecendo, tantos lugares, onde ainda não fui… um reconhecimento e homenagem, muito bonito e merecidíssimo, que aqui fizeste, do seu magnifico trabalho.
    As imagens estão uma maravilha, e adorei o suporte informativo… com a lenda…
    Estou a ver que esse alecrim daí, é bem mais poderoso que o meu… quando fores a esse lugar outra vez… traz-me uns pézinhos… 😀
    Belos momentos, aqui registados! A panorãmica é linda!
    Beijinhos! Desejando-te um bom Santo António, daqui para aí…
    Ana

    • Pelos vistos encontrei um sitio que a Elisa não conhece… :O
      Eu normalmente não recolho plantas por 2 motivos: aquele habitual de preservar as plantas e o mais importante é que sou alérgico 😀
      Obrigado Ana!

  5. Infelizmente não conheço essa maravilha!Já ouvi Estou “babando “de curiosidade!!!
    Quem sabe, um dia…
    SORTUDO!!!
    Obrigada pelo destaque…Corei!

    Beijinhos.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s